Domingo, 03 de Dezembro de 2006

Foi agricultor, pedreiro e poeta. Era um homem do povo, analfabeto, cuja poesia popular ganhou adeptos por toda a ilha.

 

Nasceu na freguesia do Arco de São Jorge em 14 de Outubro de 1858. Filho de João Gonçalves de Freitas e de Maria Júlia. Conservou a alcunha dos seus antepassados.

 

Casou ainda jovem com Maria de Jesus. Tiveram uma criança que acabou por falecer assim como a sua 1ª esposa.

Casou em segundas núpcias com Maria de Jesus Pestana de quem teve 8 filhos (4 dos quais também faleceram).

 

Segundo GOMES 1959, a poesia de Manuel Gonçalves “é uma reminiscência do jogral medieval, que simultaneamente divertia de censurava”. Segundo o mesmo autor, este poeta ganhou popularidade essencialmente pela sua “sinceridade, espontaneidade, limpidez e originalidade” sendo que a sua principal característica foi criar e não repetir.

 

A sua arte de rimar começou a evidenciar-se perto dos 40 anos nos arraiais madeirenses onde a sua veia criadora se cruzou com os sons do “rajão” e dos “ferrinhos”.

 

Emigrou para o Brasil em 1910 chegando a editar naquele país dois poemas.

 

Fisicamente era um homem que se evidenciava pela sua farta barba que ostentava com orgulho, à imagem dos filósofos. Tinha uma deformidade nas pernas. Nas suas palavras, tinha um “corpo malfeitaço”, “era cambado das pernas”, tinha o “pescoço curto”, os “olhos encolhidos”, “braços delgados e dedos compridos”.

 

Morreu no Arco de São Jorge a 19 de Março de 1927.

-----

A maior parte da sua bibliografia está impressa em folhetos avulsos os quais vendia nos arraiais e de entre os quais destacaríamos:

 

- O Santo António;

- A Chegada de Suas Majestades; Ver excerto. Ver fotografia

- As raparigas dos bordados;

- O Lavrador;

- A cidade do Funchal;

- As inundações de 1895;

- O meu galo preto;

- A antiguidade de meu pai;

- A vida do Feiticeiro do Norte, descrita por ele mesmo;

- A Madeira;

- A imigração da Madeira;

- A peste do Lazareto;

- Pedro Alvares Cabral e Portugal e Brasil (Editado no Brasil)

 

* A data do seu nascimento não é bem clara. Segundo SILVA 1998, Manuel Gonçalves terá nascido em mil oitocentos e sessenta e tanto enquanto PORTO DA CRUZ  1953 refere que terá nascido em 1868. Nos seus versos autobiográficos, Manuel Gonçalves refere que nasceu em 1858.

 

 

 

Bibliografia consultada:

 

GOMES, Alberto F. – Versos de Manuel Gonçalves (Feiticeiro do Norte). Funchal: s.n., 1959. (Poetas e trovadores da Ilha;2).

 

SILVA, Fernando Augusto da; MENESES, Carlos Azevedo de – Elucidário madeirense. Funchal: Direcção Regional dos Assuntos Culturais, 1998. Edição fac-similada da edição de 1940-1946. Vol. 2. P. 14.

 

PORTO DA CRUZ, Visconde do – Notas e comentários para a História Literária da Madeira: 1910-1952. Funchal: Câmara Municipal do Funchal, 1953. P. 57.

 



publicado por BMFunchal às 17:35
Sou neta do feiticeiro do norte,sou filha mais nova de Albino Gonçalves,moro um Curitiba-Pr, Gostei de ver as informações do bre meu avô.Obrigada
Olga Gonçalves Anacleto a 9 de Julho de 2009 às 20:36

mais sobre mim
Dezembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


links
pesquisar neste blog